Bolo de Santo Antônio

O Dia de Santo Antônio é comemorado a 13 de junho por ser a data de sua morte, no ano de 1231.  Ele foi muito conhecido pela sua vida despojada de riquezas, apesar de ter nascido em uma família abastada, e seu trabalho com os pobres foi essencial para que fosse rapidamente reconhecido como santo após sua morte.

Estamos sempre acostumados a associar o Santo às simpatias e festas, mas o Franciscano era um homem erudito e de conhecimento muito além da Igreja. Na coletânea de sermões escritos que deixou, fica evidente que estava familiarizado tanto com a literatura religiosa como com diversos aspetos das ciências profanas, referenciando-se em autoridades clássicas como Plínio, o Velho, Cícero, Séneca, Boécio, Galeno e Aristóteles, entre outros. Seu conhecimento das ciências naturais ultrapassa em muito o currículo regular das artes liberais medievais, aprofundando-se em áreas como a medicina, a física, a história natural, a cosmografia, mineralogia, zoologia, botânica, astronomia e ótica.

padua6
Santo Antônio de Pádua

Legal, né? Pois é. Eu gosto muito da história desse Santo e me lembrei que no Nordeste, onde em junho existem muitas comidas típicas das festas de São João, tem o Bolo de Santo Antônio. Procurei várias receitas e cheguei nessa, onde fiz algumas alterações por conta e risco (cozinha é laboratório, como diz minha querida amiga Lena Gasparetto). Troquei a farinha de trigo pela de aveia, a castanha de caju pela do Pará, reduzi o açúcar mudei para o mascavo, omiti alguns ingredientes e obviamente acrescentei minhas amadas especiarias. O resultado, amigos, foi um dos melhores bolos que já fiz. Super fofo, com aroma e sabor marcantes e com os pedaços da castanha deixando tudo mais delicioso e completo.

Daí fica a critério de quem quiser esconder medalhinhas do Santo ou alianças no bolo pra fazer a brincadeira de quem vai casar primeiro. 😛

Vem comigo aprender essa maravilha:

 

Ingredientes

1/2 xícara de castanha do Pará em pedaços pequenos

1/2 xícara + 1 colher de sopa de castanha do Pará moída

1 xícara de farinha de aveia

1 colher de sopa de fermento em pó

1/2 xícara + 2 colheres de sopa de manteiga em temperatura ambiente

1 xícara de açúcar mascavo

4 gemas

4 claras em neve

1 colher de sopa de melado

1 colher de chá de Canela Ginger

1/2 colher de chá de Noz Moscada Ginger

1/2 colher de chá de Gengibre Ginger 

Coloque o forno para aquecer em 180°C. Misture a farinha com o fermento, a Canela, a Noz Moscada, o Gengibre, as castanhas picadas, 1/2 xícara das castanhas moídas e reserve. Bata a manteiga com o açúcar até formar um creme e vá acrescentando as gemas, uma de cada vez, e por último o melado. Adicione a mistura de farinha, misture bem e incorpore delicadamente as claras em neve. Coloque em uma forma untada com Canela, açúcar mascavo e 1 colher de sopa da castanha moída e leve ao forno pré aquecido por aproximadamente 40 minutos ou até espetar o palitinho e o mesmo sair seco. Essa mistura na forma faz uma casquinha no bolo que olha, foi difícil não descascar o bolo todo depois de pronto.

A foto não ficou maravilhosa porque acabei retirando da forma sem esfriar totalmente porque precisava sair para compromisso. Então já sabe: Não faça isso.

image1

O melhor mesmo é o sabor sensacional de um bolo fácil e aromático que você não vai querer parar de comer. 🙂

 

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.