Categories Menu

Posted by on nov 12, 2015 in GingerTemperos | 4 comments

Como planejar marmita para uma semana com os blends da Ginger

Fazer almoço para uma semana é algo que exige certa dose de criatividade e esforço. Não é fácil preparar refeições balanceadas, que mantenham o sabor depois de congeladas e descongeladas. Planejar a marmita semanal pode ser trabalhoso, mas os benefícios que essa prática traz para o seu bolso e para a sua saúde são inquestionáveis.

Isso porque preparar sua própria comida não apenas garante um cardápio que te agrade (ou você vai preparar comida que você não gosta – ou pior, que você é alérgico? Jamais, né?). Também traz a garantia de saber como a salada foi lavada, quanta gordura tem na carne ou quantos dias de uso tinha aquele azeite, diferentemente do restaurante – ugh! Por exemplo, como eu detesto carne mal passada, acebolada ou simplesmente gorda (eu sou chatíssima com carne), já passei por diversas situações desagradáveis, desde encontrar partes enormes de gordura numa carne enquanto mastigava até ter que devolver o prato e pedir para cozinhar melhor a carne, tirar a cebola, etc.

Já a marmita te dá total controle sobre o que você está comendo. Em vez de almoçar em restaurante sem saber direito como aquela comida foi preparada, agora eu sou #TeamMarmita: preparo minhas refeições da semana no domingo, congelo e vou levando para a firma durante a semana. Além de ter sentido que estou comendo muito melhor, meu bolso tem agradecido – é só ver essa comparação do blog Saber Para Crescer, replicado no excelente Minha Marmita Tem:

comparação custo marmita

(No meu caso, gastei cerca de R$120 para fazer almoço para duas pessoas por cinco dias, contando aí os potes que tive que comprar para congelar tudo isso.)

A minha experiência como marmiteira iniciante me fez perceber quão importante é variar o cardápio todos os dias. Se eu fizer carne moída para a semana inteira, na quarta-feira estarei de volta ao restaurante. E nisso os blends da Ginger têm me ajudado muito: variando o tempero, o molho e o modo de preparo da carne, consigo uma boa variação de cardápio comprando apenas 1kg de carne moída e 1kg de peito de frango.

O segredo é o planejamento e é isso que eu vou ensinar aqui no blog hoje (:

Você vai precisar de:
1kg de carne magra moída
1kg de peito de frango
500g de arroz (pode ser branco, integral…)
Cenouras, brócolis, beterraba, tomate, alface
200g de creme de leite
molho de tomate
02 cebolas médias
alho e temperos da sua preferência (eu usei Toscana, Provence, Chimichurri e Curry)

Comece preparando o frango, que pode ser desfiado na panela de pressão (aqui tem explicadinho como fazer) ou cortado em cubos (facilita na hora da organização da marmita e o frango não fica tão ressecado depois de congelar), depois é só temperar e deixar na geladeira marinando enquanto prepara o resto da comida. Eu prefiro em cubos; primeiro porque ainda não comprei panela de pressão, segundo porque fica mais temperadinho e gostoso. O Toscana é ótimo para isso, deixa um sabor bastante característico que vai continuar no frango depois de congelado.

Em seguida, higienize as saladas e cozinhe as cenouras e a beterraba, se preferir. Eu gosto delas cruas e raladas. A salada deve ser refrigerada e consumida em até três dias, então não adianta fazer para a semana inteira, vai estragar. Faça o suficiente para três dias e prepare novamente na quarta-feira as saladas para quinta e sexta. Eu adoro brócolis, então resolvi fazer um pouquinho no vapor também e congelei junto com algumas porções de comida. Sempre que for cozinhar legumes no vapor, experimente colocar meia colher de chá de um tempero como o Provence. Fica muito mais saboroso.

Se você optar por arroz integral, como eu, é bom já colocar ele no fogo porque demoooooooora para cozinhar…

Para preparar a carne, primeiro cozinhe toda a carne moída – assim ela fica mais macia no final. Para isso, é só colocar em uma panela grande com um pouco de azeite e mexer até a carne ficar completamente cozida, coisa de uns quinze minutos. Depois, separe a carne em duas partes. Para uma das partes, eu refoguei cebola e alho até que a cebola ficasse bem macia (ou seja, no ponto em que a chata aqui não se incomoda em comê-la), adicionei a carne, um tomate picado e umas azeitonas picadas e deixei o tomate se desmanchar. Para temperar, um pouco de Chimichurri – virou aquela típica carne moída de marmita, que eu adoro. A outra parte eu usei para um molho bolonhesa bem simples, com molho de tomate, cebola picadinha e um toque de Provence.

Por fim, tirei o frango da geladeira e separei em duas partes iguais. Uma joguei no grill só temperado com o Toscana e deixei grelhar bem dos dois lados, a outra virou um strogonoff bem temperadinho com Curry.

Resultado: arroz integral, carne moída, bolonhesa, strogonoff, frango grelhado, cenoura e beterraba raladas, brócolis, tomate e alface. Organizei em potes já separando uma porção por dia e congelei.

planejar marmita semana

Observações:
Tentei fazer purê de batata e batata rústica também, mas de primeira já aprendi que batata e congelador não combinam bem;
Na próxima vou adicionar pepino em conserva picado, acho uma delícia e sobrevive bem;
Para quem curte, abobrinha também é uma ótima opção. Eu detesto!

O processo todo, da ida ao mercado até o momento em que todas as comidinhas estavam prontas, nos potinhos e devidamente organizadas no congelador me tomou cerca de três horas.

FacebookEmailPrintCompartilhar

4 Comments

  1. Ótimo post! Realmente, um tempero diferente já ajuda muuuito a variar as marmitas da semana e faz com que a gente não enjoe rápido da comida, né?
    Acho que esse é o principal desafio de viver de marmita, mas a gente dá um jeito! 😉

    Muito obrigada pela indicação! <3
    :*

    • Oi, Rebecca!

      Que bom ver você aqui! <3 Adoramos o seu blog, foi super útil no planejamento das marmitas. Não é nada fácil criar um cardápio gostoso e variado para tantas refeições, né? Os temperos dão uma baita ajuda, sem dúvidas! 😉

      Obrigada você por criar um conteúdo tão gostoso de ler! :*

  2. Olá! Eu tenho dúvidas quanto ao congelamento e descongelamento. Todas elas você congela? Ou deixa na geladeira mesmo? Ou na geladeira estragaria. Eu sempre volto para almoçar em casa porém não tenho muito tempo. Aí pensei em tirar para descongelar de manhã e na hora do almoço ela já estava menos congelada aí eu colocaríamos microondas. Daria certo assim?

    • Oi, Gabriela, dá certo sim. 🙂

Post a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *